Taxas 23/12/2009

As 15 músicas natalinas mais tocadas nos parques de Orlando

É tempo de natal nos parques de Orlando e, obviamente, onde quer que você esteja vai escutar as mesmas músicas sendo tocadas nos auto-falantes, mas com um detalhe muito legal, nas mais variadas versões. Ou seja, cada um dos clássicos é apresentado em rock, jazz, salsa, instrumental, cantado etc. Abaixo uma seleção das músicas mais tocadas lá, que você pode conferir também no Sonora:

1 - All I want for Christmas, com Maria Carrey. »Ouça um trecho
2 - Frosty the Snowman, com Harry Connick Jr. »Ouça um trecho
3 - I heard the bells at Christmas day, com Counting Crows. »Ouça um trecho
4 - Its the most wonderful time in the world, com Toni Braxton. »Ouça um trecho
5 - Jingle Bells, com B2K ou com Natalie Cole. »Ouça um trecho
6 - Jingle Bells Rock, com The Platters. »Ouça um trecho
7 - Joy to the World, com Michael Bolton. »Ouça um trecho
8 - Let it Snow, com Frank Sinatra. »Ouça um trecho
9 - Rockin around the Christmas tree, com Alabama. »Ouça um trecho
10 - Rudolph the red-nosed deer, com Ella Fitzgerald ou com Chicago. »Ouça um trecho
11 - Santa Claus is coming to town, com Jackson 5 ou com Supremes. »Ouça um trecho
12 - Silent Night, com Amy Grant. »Ouça um trecho
13 - Thank God it´s Christmas, com Queen. »Ouça um trecho
14 - We wish you a Merry Christmas, com Take 6. »Ouça um trecho
15 - White Christmas, com America ou com Michael Buble. »Ouça um trecho

Fonte: Portal Terra Turismo

American e Gol oficializam code-share e integram milhas


A Gol e a American Airlines acabam de anunciar a oficialização do acordo de compartilhamento de voos (code-share), que permitirá à American adicionar o código da empresa em voos operados pela Gol. A expectativa é que as companhias possam implementar o acordo após as aprovações dos órgãos regulatórios do setor.

Em paralelo, a American e a Gol estão fortalecendo ainda a integração dos programas de milhagem - Smiles, da Gol, e AAdvantage, da American. Desde agosto deste ano, clientes de ambos os programas já podem acumular milhas voando pelas duas companhias e desde novembro os clientes Smiles já podem emitir bilhetes na malha aérea da American. O próximo passo, previsto para o início do próximo ano, permitirá aos clientes AAdvantage emitir bilhetes-prêmio nos voos da Gol.

Parque Nacional do Iguaçu alcança um milhão de visitantes em 2009

O Parque Nacional do Iguaçu atingiu a marca de um milhão de visitantes pelo terceiro ano consecutivo — e pela sexta vez na sua história. O milionésimo visitante é a técnica administrativa Cecília Fressato, de Curitiba, que passou pela bilheteria na última quinta-feira, dia 17, em companhia do marido, o coordenador de logística Fabiano Fressato.

Como cortesia, o casal recebeu o certificado de milionésimo visitante, suvenires da unidade de conservação, e passeou pela trilha de acesso às Cataratas, onde pôde admirar as quedas. Logo após, ambos almoçaram no Restaurante Porto Canoas e em seguida se aventuraram no Macuco Safari. Por fim, sobrevoaram as Cataratas do Iguaçu de helicóptero.

O casal, que está em viagem de lua-de-mel, não escondeu a surpresa ao ser recepcionado pela diretoria e funcionários do parque quando passavam pela roleta. “Ainda não estou acreditando. Essa é a primeira vez que viemos às Cataratas e não imaginava que tivéssemos tanta sorte”, admite Fressato. “Com certeza, foi um grande presente de casamento”, diverte-se Cecília.

Num ano de adversidades, marca é vitória, diz trade

O feito comprova a força do turismo de Foz do Iguaçu, que conseguiu atingir a marca simbólica, apesar do cenário adverso no primeiro semestre. O movimento é resultado, em grande parte, da ação integrada do setor e das campanhas de fortalecimento da imagem do município e seus atrativos.

A marca é comemorada como uma resposta frente às dificuldades enfrentadas pelo destino no decorrer do ano. Não fossem os percalços ao longo dos meses, a unidade de conservação teria batido o recorde de 1,154 milhão de visitantes do ano passado.

O chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro, considera que a “crise econômica global e gripe A impediram que tivéssemos um número de visitantes ainda maior em 2009”. Segundo ele, o último trimestre deste ano foi fundamental para manter o crescimento sustentável do parque. “Os feriados deste período e o crescimento de turistas brasileiros fizeram diferença”, avalia.

Fator fundamental da rápida recuperação do turismo na cidade, segundo representantes do trade, foi a “união do setor em busca de objetivos comuns”, diz o secretário de Turismo de Foz do Iguaçu, Felipe Gonzalez. “Estivemos no lançamento do ‘Plano Aquarela 2020’, feito pela Embratur, no Rio de Janeiro, e recebemos o reconhecimento pelo trabalho que está sendo feito em Foz, que é considerado um modelo”, completa.

Para o superintendente de Comunicação da Itaipu, Gilmar Piolla, se não fossem as adversidades enfrentadas este ano, seria batido um novo recorde de visitação, ultrapassando um milhão e 200 mil visitantes no parque. “A união de todas as entidades do trade turístico e a parceria entre setores público e privado têm sido fundamental para manter o Destino Iguaçu em alta. Com essa integração, estamos mudando a imagem do Destino Iguaçu, consolidando-o como um dos melhores destinos turísticos do Brasil e do mundo”, diz.

O presidente do Conselho Municipal de Turismo (Comtur), Paulo Angeli, acredita que um dos fatores que contribuíram para alcançar esse número foram as campanhas de divulgação do Destino Iguaçu. “Todo o trabalho de comunicação realizado foi importante para que mantivéssemos bons índices”, afirma.

Fonte: EcoViagem

As praias brasileiras exclusivas para quem gosta de ficar pelado sob o sol

Como acontece em muitos países europeus, o Brasil tem praias exclusivas para aqueles que acham que sunga ou biquininho são pano demais para curtir o sol. Nestas praias, o negócio é aproveitar o ar livre sem qualquer peça de vestimenta que atrapalhe.

Famílias são bem vindas e muitas vezes homens desacompanhados estão vetados. Confira a lista das praias brasileiras onde a prática do naturalismo está garantida por lei:

Tambaba, PB
A mais famosa praia de nudismo do Brasil. Falésias multicoloridas e pedras negras protegem as areais brancas de intrusos indesejáveis. A natureza dos arredores é composta por resquícios de mata atlântica, flores e coqueiros. Aproveite as trilhas ecológicas da região para apreciar uma bela vista da praia no topo de uma das falésias. O mar é calmo e quente.

Praia do Pinho, SC
A Praia do Pinho é a primeira oficial de naturalismo do Brasil e considerada uma das mais belas do mundo para a prática. Águas claras e vegetação praticamente intocada tornam o lugar paradisíaco. A cerca de 80 km de Florianópolis, o local possui uma excelente estrutura de campings, pousadas, chalés e bares.

Abricó, RJ
Conhecida por Ipanema e Copacabana, o Rio de Janeiro tem Abricó como o seu representante para o nudismo. A praia fica dentro da reserva biológica do Parque de Grumari, garantindo a privacidade dos banhistas. A vegetação é típica do litoral carioca: montanhas verdes e densas.

Olho do Boi, RJ
No balneário de Búzios, o Olho do Boi tem somente 50 metros de extensão e nenhuma infraestrutura. Rodeado por mata virgem, a praia é banhada por águas extremamente calmas e limpas, mas esteja atendo ao fundo recheado de pedras. Para chegar, deve-se caminhar a partir da Praia Brava, em Cabo Frio.

Pedras Altas, SC
Pedras Altas está dividida em duas partes: uma para família e casais, e outra para solteiros. Há uma vasta flora de bromélias e mata densa, e animais como raposas e quatis. Uma boa pedida é aproveitar os riachos de água doce do local. Ônibus partem regularmente de Florianópolis.

Galheta, SC
Uma trilha de 300 metros a partir da Praia Mole leva até a Galheta. O local vem sendo frequentado por naturalistas desde a década de 70. Apesar de estar localizada entre duas das mais cheias praias da ilha de Florianópolis, Mole e Barra da Lagoa, Galheta segue selvagem com mar cristalino e boas ondas para o surfe. Não há qualquer infraestrutura turística de bares ou restaurantes.

Barra Seca, ES
A única do estado do Espírito Santo, Barra Seca, no município de Linhares, possui dois quilômetros todas dedicadas a quem quer estar em total sintonia com a natureza. Diferente das outras, a areia dessa praia é grossa e o mar bravo. Mas, a tranquilidade e privacidade estão garantidas. Para chegar é preciso atravessar o rio Ipiranga com uma balsa.

Massarandupió, BA
A mais recente praia da costa brasileira reservada para os naturalistas. O cenário lembra outras praias do Norte e Nordeste, com coqueiros, dunas, vento forte e mar limpo. Assim como na grande maioria, homem desacompanhado está proibido de frequentar Massarandupió. O acesso é feito pelo Km 88 da Linha Verde sentindo Salvador/Aracaju. Depois, são ainda mais 20 minutos de caminhada.

Fonte: Portal Terra Turismo

Taxas 18/12/2009

Trilhas nas montanhas, cachoeiras e piscinas naturais encantam em Visconde de Mauá


Montes e vales verdes, cachoeiras de águas cristalinas, piscinas naturais, trilhas na mata atlântica, flores e beija-flores em todo o lugar fazem de Visconde de Mauá uma verdadeira joia da natureza. O permanente canto dos pássaros, o som suave das corredeiras e as belas paisagens, aliadas a pousadas charmosas e restaurantes de qualidade, agradam a todo tipo de turista: desde os que buscam o ar puro e a tranquilidade das montanhas até os que procuram aventuras ecológicas e esportes radicais.

Incrustada na Serra da Mantiqueira, com altitude média de 1.300 metros, a região turística de Visconde de Mauá também é inigualável na sua formação geográfica: abrange dois estados (Rio de Janeiro e Minas Gerais) e três municípios (Resende, Itatiaia e Bocaina de Minas).

Portanto, os visitantes cruzam as fronteiras o tempo todo para desfrutar das inúmeras atrações locais -- banhos de cachoeiras, trilhas, rappel, cavalgadas, além de passeios de bicicletas, motos, jipes e quadriciclos - e do roteiro gastronômico, onde a deliciosa truta local reina como prato principal. O festival de gastronomia Temporada da Truta, em que os chefs da região criam pratos especiais com o pescado, ocorre anualmente entre outubro e novembro.

Habitada por índios puris, jesuítas, bandeirantes, fazendeiros, colonos alemães e hippies, Visconde de Mauá começou a ser descoberta como roteiro turístico nos anos 70. O nome é uma homenagem ao industrial Irineo Evangelista de Souza, que dedicou a vida a construir navios e estradas de ferro no Brasil e no exterior no período imperial e ganhou o nobre título de visconde.

Pode-se chegara a Visconde de Mauá pela cidade de Resende (RJ), município do qual faz parte, por uma estrada de 27 quilômetros pela serra, sendo apenas os dez primeiros asfaltados. Apesar das curvas sinuosas e dos trechos estreitos, a estrada é bem conservada por cascalhos e oferece uma vista linda, com diversos mirantes que compensam as dificuldades do trajeto.

A região é formada por diversas vilas. A de Mauá, que dá o nome à região, é a porta de entrada aos turistas. Tem algumas pousadas, lojas e o único posto de gasolina local. No portal de chegada, o posto de informações turísticas dispõe de mapas e folhetos que ajudam os visitantes a circular pelas estradas de terra que ligam as vilas e a aproveitar suas belezas naturais.

A Vila de Maringá é a principal, o centro da região. Cortada pelo Rio Preto, que separa, desta forma, a Maringá-RJ da Maringá-MG, oferece a melhor infraestrutura. Ali se encontram lojas de roupas, joias, bijuterias, artigos de decoração, artesanato local, doces e cachaças regionais, chocolaterias, cafés, mini-mercados etc. Maringá também concentra a maior parte dos restaurantes, adequados para todos os bolsos e gostos: da comida mineira à japonesa, passando pelos vegetarianos e pizzarias.

A Vila de Maromba também tem um centrinho, mas destaca-se principalmente pelos atrativos naturais da região. Lá está a divertida Cachoeira do Escorrega, em que as pedras se transformam num tobogã natural para os turistas, o Poção da Maromba, onde é possível pular num poço de quatro metros de profundidade, e a bela cachoeira Véu de Noiva.

O Vale do Alcantilado reserva um dos melhores passeios da região: um roteiro de nove
cachoeiras e poços que termina aos 1.500 metros de altitude, ao pé de uma enorme queda d'água que leva o seu nome. No Vale da Santa Clara, a cachoeira batizada com o mesmo nome e a piscina natural formada por ela são os pontos mais procurados pelos visitantes.

A principal trilha da região é de tirar o fôlego, literalmente, tanto pela dificuldade do percurso quanto pela paisagem que se descortina ao final. Trata-se da subida da famosa Pedra Selada, um roteiro pesado, que dura cerca de cinco horas para subir e descer. Com 1.755 metros de altitude, o pico da Pedra Selada, oferece uma paisagem de 360 graus, formada por montanhas, vales e cidades vizinhas.

Se a vida diurna de Visconde de Mauá leva a diversas aventuras ecológicas, a noite convida à boa mesa, à música suave e ao aconchego da lareira. O clima da serra, com a baixa temperatura noturna, combina com os pocket shows nos restaurantes e bares da região. Para quem prefere um programa romântico, vale degustar um bom vinho ao pé da lareira em sua própria pousada, depois de uma relaxante hidromassagem ou banho de ofurô.

Por falar em pousadas, Visconde de Mauá apresenta uma grande variedade de instalações, que vão do camping a alternativas de luxo. Em geral, a relação custo-benefício é bem equilibrada. Como uma boa região interiorana, os cafés-da-manhã costumam ser caprichados, com pães, geleias, doces e queijos feitos, muitas vezes, pelas próprias proprietárias dos estabelecimentos.

A região turística de Visconde de Mauá faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra da Mantiqueira e parte do seu território integra a Unidade de Proteção Ambiental do Parque Nacional do Itatiaia. A temperatura média anual é de 16ºC e gira ao redor de 5ºC nas noites de inverno. O verão é chuvoso, mas não afasta a grande quantidade de turistas que a procuram no período de Carnaval.

Fonte: Uol Viagens

Taxas 17/12/2009

Magic Kingdom promove festa de Natal do Mickey com apresentações especiais

Que o Magic Kingdom, no complexo Disney World na Florida, tem a capacidade de transformar qualquer adulto em criança deslumbrada, isso todo mundo sabe, mas imagine unir esse encanto com a magia do Natal. Até 18 de dezembro, o parque promove o Mickey's Very Merry Christmas Party (a festa do natal muito feliz do Mickey) com atrações especiais a partir das 19 horas e seguindo até a meia-noite.

Com ingressos a US$62 (pagos à parte da utilização do parque no período diurno), o visitante pode curtir cada brinquedo à noite (e acredite, o Big Thunder Mountain Railroad - a montanha-russa do Frontierland - é muito mais divertida no escuro), além de ganhar chocolate quente e cookies em vários pontos do parque. No Main Street USA, a iluminação das casas e da árvore de Natal é um show à parte, tendo ainda apresentações de barbershop quartets (conjuntos vocais de quatro pessoas cantando músicas natalinas à capela) e neve artificial lançada dos telhados.

Às 20h30 e 22h30, acontece a Parada de Natal com todos os personagens Disney/Pixar celebrando a data mais festiva do ano e, obviamente, com a presença do Papai Noel. O tradicional show de fogos de artifício do Castelo da Cinderela - lindamente iluminado - ganha uma edição exclusiva para essa época do ano. Destaque para a personagem Sininho descendo em grande estilo por um fio no topo do castelo. A narração do Grilo Falante, explicando o porquê do Natal ser tão encantador e trilha sonora de levar às lágrimas o mais durão dos homens completam a magia. Sem falar, é claro, nos fogos, que formam deslumbrantes desenhos no ar como rostos sorrindo e presentes. Imperdível até para quem não acredita no bom velhinho.

Fonte: Portal Terra TurismoCom ingressos a US$62 (pagos à parte da utilização do parque no período diurno), o visitante pode curtir cada brinquedo à noite (e acredite, o Big Thunder Mountain Railroad - a montanha-russa do Frontierland - é muito mais divertida no escuro), além de ganhar chocolate quente e cookies em vários pontos do parque. No Main Street USA, a iluminação das casas e da árvore de Natal é um show à parte, tendo ainda apresentações de barbershop quartets (conjuntos vocais de quatro pessoas cantando músicas natalinas à capela) e neve artificial lançada dos telhados.

Às 20h30 e 22h30, acontece a Parada de Natal com todos os personagens Disney/Pixar celebrando a data mais festiva do ano e, obviamente, com a presença do Papai Noel. O tradicional show de fogos de artifício do Castelo da Cinderela - lindamente iluminado - ganha uma edição exclusiva para essa época do ano. Destaque para a personagem Sininho descendo em grande estilo por um fio no topo do castelo. A narração do Grilo Falante, explicando o porquê do Natal ser tão encantador e trilha sonora de levar às lágrimas o mais durão dos homens completam a magia. Sem falar, é claro, nos fogos, que formam deslumbrantes desenhos no ar como rostos sorrindo e presentes. Imperdível até para quem não acredita no bom velhinho.

Fonte: Portal Terra Turismo

Taxas 16/12/2009

Roma - Itália

Pelas suas características naturais e pela riqueza do patrimônio histórico, artístico e cultural, a Itália representa uma das metas privilegiadas do turismo internacional.

Roma conserva sua grandiosidade e reputação como um dos maiores centros culturais do mundo, cuja economia é extremamente dependente do turismo. Apesar do trânsito e poluição, típicos de grandes metrópoles, Roma é célebre por seus excelentes restaurantes, animados cafés nas calçadas, elegantes lojas e mais de 300 fontes iluminadas. A história permeia todos os recantos da magnífica cidade de Roma, conhecida como a Cidade Eterna. Pode-se locomover pela cidade de metrô e ônibus, mas o importante é andar a pé o máximo que puder para não perder a chance de apreciar a arquitetura, a beleza e a história desta cidade.

Roma é uma cidade onde a cada esquina existe algo de interessante, desde um prédio, uma fonte, passando por igrejas, pórticos, estátuas, até chegar às lojas, cantinas, tratorias e adegas.

Alguns dos pontos mais visitados:

• Basílica de São Pedro (mais importante santuário católico que atrai peregrinos e turistas do mundo inteiro)
• Vaticano (capital da igreja católica e o menor Estado do mundo e residência do Papa)

• Museus do Vaticano (um dos acervos de artes mais importantes do mundo)
• Capela Sistina (situada no museu do Vaticano cujos afrescos no teto foram pintados por Michelângelo)
• Coliseu (maior anfiteatro Romano onde aconteciam comba
tes mortais entre gladiadores e animais selvagens)
• Piazza di Spagna (mais famosa praça de Roma)
• Fontan
a di Trevi (maior e mais famosa fonte de Roma)

A Piazza Venezia, é inconfundível pela presença do monumento em homenagem a Vittorio Emanuele II, o Vittoriano, que praticamente se debruça sobre a praça. Foi inaugurado em 1911, baseado num projeto de 1855 de Sacconi, hospeda a tumba do soldado desconhecido.

Eis o Colosseo, o anfiteatro Flavio, iniciado por Vespasiano e inaugurado por Tito em 80 d.C., foi destinado a espetáculos e combates que acontecem até o séc. VI. Formato elíptico, com uma circunferência de 527m, tem um muro externo alto 57m e dividido em 4 andares. Foi dividido com setores para o Imperador, para os Senadores, e diferentes categorias de público. A arena, tinha uma cobertura de madeira, que hoje não existe, e mostra os restos dos locais de serviço.

Os fatores que favorecem o desenvolvimento das atividades turísticas no país são em primeiro lugar as historicamente conhecidas atrações naturais e culturais (clima, paisagens marinhas e montanhas, patrimônio artístico, centros religiosos e de águas termais), em segundo lugar a proximidade a um grande "reservatório de utilidade", representado pelos países industrializados da Europa central e norte ocidental, a meios de comunicação rápidos e econômicos com outros continentes, e ainda o ótimo nível das estruturas de recepção que poucos outros países dispõem. Bem afirmado, o turismo deve ser considerado uma das mais importantes fontes da economia italiana: contribui com 5,5% aproximadamente do PIB, valor superior aquele de todo o setor agrícola.
A riqueza do patrimônio artístico, em todas as suas manifestações, é incomensurável.

Informações sobre a Itália :
Superfície (Km.²): 301.309
População (Hab.): 57.563.354
Densidade (Hab/Km.²): 191
Capital: Roma
Tipo de governo: República parlamentar
Língua: Italiano
Religião: Católica
Unidade monetária: Lira
PIB: 1.020 Bilhões de $
Renda per capita: 18.520 $
Hino Nacional - Fratelli d'Italia

Quem viaja a turismo para a Itália deve saber que sua permanência em território italiano é limitada a 3 (tres) meses a contar da sua data de ingresso no Pais. Caso sua permanência seja superior a 10 dias, o cidadão deverá apresentar-se às autoridades italianas entre o 8º (oitavo) dia de sua chegada à Itália para informar o período e o motivo de sua estadia. Esta autoridade chama-se "Questura". No caso de uma eventual extensão do período permitido por Lei, o cidadão deverá também requerer esta prorrogação, obviamente justificando o motivo, e a decisão para tal prorrogação ficará exclusivamente a critério das autoridades italianas e não deverá ser considerada como garantida a sua autorização.

A carteira de habilitação brasileira é valida na Itália acompanhada do passaporte. Para maiores informações recomendamos que o usuário contate uma agência do Automóvel Clube do Brasil ou o site do Consulado do Brasil de Milão, que contém estas informações.

Garantias econômicas: O Turista, ao entrar na Itália e eventualmente vier a ser interpelado pela polícia de fronteira, deverá demonstrar que poderá garantir-se economicamente durante o período de sua permanência em território italiano.

A riqueza da arte difundida em larga escala em cada zona, não deve por isso fazer com que se esqueça, colocando-a em segundo plano, as expressões de arte popular, através da qual se revela a multiforme variedade da Itália e das suas tradições regionais.

Fonte: Revista Turismo

Taxas 15/12/2009



Saiba mais sobre Johannesburgo, sede da Copa do Mundo


No dia 11 de junho de 2010, os olhos do mundo estarão voltados para Johannesburgo, uma das maiores cidades sulafricanas e palco da abertura e da decisão que definirá quem será o novo campeão do mundo de futebol. Assim, será a principal sede da Copa do Mundo de 2010. Ambos os jogos serão realizados no Soccer City, maior estádio da competição com capacidade para 94.700 pessoas. Outro palco para jogos eliminatórios é o Ellis Park Stadium, que abrigou a final da Copa das Confederações entre Brasil e EUA.

Mas quem for acompanhar os jogos não pode deixar de conhecer parte da história de Johannesburgo. Principal pólo dos conflitos durante o regime racista do apartheid, a capital da África do Sul mantém vivo seu legado. Soweto, subúrbio da metrópole, apesar de não ser dos mais belos, é, sem dúvida, um dos pontos mais importantes do continente africano. Construído como assentamento para a população negra ficar isolada, o lugar foi o principal foco de resistência às políticas segregacionistas governamentais.

Além de andar um pouco por suas ruas, não deixe de visitar a casa onde morou Nelson Mandela, e o Hector Pieterson Museum, um memorial em homenagem às crianças mortas no massacre contra estudantes em 1976. Fora de Soweto, o Apartheid Museum deve ser visitado. Sua coleção de vídeos, filmes e diversos objetos emocionam. Outra parada obrigatória é o Constitution Hill, prisão onde inocentes foram torturados e ficaram presos personalidades como Mandela e Gandhi.

Já para os amantes das artes, as duas melhores opções são os museus Johannesburg Art Gallery e Standard Bank Art Gallery. Ao sul de Johanesburgo fica o Gold Reef City. A vila é uma réplica do tempo em que o ouro impulsionava a economia sul-africana. Diversas atividades ligadas à mineração podem ser vistas. O principal é descer para as minas e assistir uma demonstração de como era o feito o trabalho naquele tempo.

O zoológico é um dos mais completos do planeta, com 2.070 animais de 365 diferentes espécies. Um dos poucos no mundo com leões brancos, o lugar ainda tem ilustres hóspedes como gorilas, tigres siberianos e ursos polares. Uma opção ainda mais excitante é Lion Park. Lá, humanos podem se aproximar e até mesmo interagir com leões e outros animais. Se desejar passar uma noite, é possível dormir em barracas bem equipadas e viver um clima de savana ao som de leões e hienas urgindo.


Fonte: Portal Terra Turismo

Taxas 14/12/2009

Cidade de Estocolmo tem mais de 100 museus

Estocolmo é considerada a mais bela cidade da Escandinávia e uma das mais belas da Europa. Formada pela ligação de 14 ilhas, a capital da Suécia mistura áreas verdes com belas construções. Além disso, a riqueza cultural impressiona: são mais de 100 museus e 70 galerias espalhadas pela cidade.

Praticamente quase todos os pontos turísticos podem ser vistos caminhando: 57 pontes conectam todas as ilhas permitindo uma fácil locomoção. O sistema público de transporte não fica atrás, oferecendo dezenas de opções de trem, metrô, ônibus e barca, que se interligam no sistema de bilhete único. A dica é aproveitar as barcas para ter uma visão privilegiada da cidade pelo mar. Se preferir, empresas organizam tours pelos canais.

Uma boa pedida para começar a sua viagem é o The City Hall. Esse patrimônio arquitetônico da cidade com sua torre de 106 metros sedia anualmente o banquete de comemoração do prêmio Nobel. As salas onde ocorrem o jantar, Blue Hall, e a dança, Golden Hall, podem ser visitadas em tours guiados.

Remanescente dos tempos passados de Estocolmo, Gamla Stan também é parada obrigatória. Trata-se de um dos mais belos centros medievais de toda a Europa. Suas ruas estreitas com restaurantes, bares, lojas de lembrancinhas e casas antigas têm um ambiente único. O Stortorget, quarteirão mais antigo da cidade, fica no bairro e possui bons cafés e restaurantes. Mas o local também serve como centro administrativo político. O Royal Palace abriga cinco museus que mostram um pouco da história, costumes e objetos de reis e rainhas suecos.

A monarquia da Suécia, diferentemente de outras, abre seus palácios para o público. O Drottningholm Palace, casa de membros da família real desde 1981, se destaca pela impecável preservação de seus salões, jardins, teatros e obras de arte. Enquanto isso, o Príncipe Eugens deixou como herança uma vasta coleção de pintura no museu que um dia foi a sua casa: Prince Eugens Waldemarsudde.

O Vasa Museum é um dos mais peculiares do mundo. Montado dentro de uma gigante embarcação do século XVII, as nove exposições do museu recebem mais de um milhão de turistas por ano. Já o Moderna Musset é referência em arte moderna e contemporânea, com uma coleção com obras de Picasso, Salvador Dali, Derkert e Matisse. Para o movimento clássico, o Nationalmuseum comporta um acervo dos principais artistas suecos, além de nomes internacionais como Rembrandt, Goya e Degas.

Outras opções são os museus ao ar livre. O Skansen Open-Air Museum possui um ótimo ambiente para conhecer a cultura do país. Uma pequena cidade foi montada levando em conta as tradições suecas. Lá, ainda é possível encontrar um zoológico com animais escandinavos.

Na ilha de Lindingö, Millesgarden merece uma visita. O parque Millesgarden abriga algumas das esculturas do renomeado artista Carl Milles. Entre as mais conhecidas está a Hand of Gods, obra reproduzida em diversas partes do mundo.

Um programa mais afastado do centro leva a conhecer o arquipélago de Estocolmo. Ilhas com seu ambiente rústico e ilhotas desertas formam um verdadeiro retiro da vida urbana em plena capital. Se desejar dormir por lá, há hotéis. Tours diários também partem do centro de Estocolmo.

Fonte: Portal Terra Turismo

Taxas 11/12/2009

Argentina

Percurso pela estrada chilena Carretera Austral revela reservas de vida e de aventura


A diversidade geográfica do continente americano é responsável pela criação de estradas que chegam a ganhar mais fama como produto turístico do que as próprias atrações a que dão acesso. Nos EUA, a lendária Route 66; na Argentina, a Ruta 40 conta com 5.000 km entre La Quiaca, na fronteira com a Bolívia, e Rio Gallegos, na boca da Terra do Fogo; enquanto no Brasil, aventureiros seguem viagem por rodovias como a Transpantaneira e Transamazônica.

No extremo sul do Chile não foi diferente. A Carretera Austral, uma via de 1.240 km que une a Região dos Lagos ao mais longínquo da Patagônia chilena, é um dos maiores orgulhos nacionais da engenheira e sonho de consumo de viajantes, sejam esportistas, mochileiros ou grupos da Terceira Idade.

Até a metade da década de 70, a região de Aysén, onde se localiza a famosa estrada, esteve isolada do resto do país e guardava para si um cenário inóspito de clima rigoroso formado por fiordes e canais, reservas naturais e imensos bosques nativos que dividiam espaço com glaciais.

Hoje, a paisagem mudou pouco, mas a aventura começa a ganhar investimentos que já permitem percorrer o trajeto com uma estrutura mínima de opções de hospedagem e de agências locais para os atrativos mais distantes. Por conta dos eventos que estão sendo preparados para o bicentenário da independência chilena, comemorado em 2010, a estrada está sendo asfaltada em regiões como Puyuhuapi e se somará a outros trechos da estrada que, em alguns setores, é orgulho nacional devido às construções arrojadas que interagem com a dura natureza local.

Mas em se tratando de Carretera Austral, "mínimo" já é o máximo e não espere mais do que isso. Alguns trechos da estrada ainda têm condições precárias de circulação, os horários de ônibus são reduzidos e muitas das atrações relacionadas com o "produto" só podem ser visitados de carro ou acompanhado de guias locais. Mas como tudo o que é mais difícil é melhor, você logo perceberá que valerá a pena o esforço após cada quilômetro rodado.

Aysén está no norte da Patagônia chilena e caracteriza-se pelo contraste de paisagens agrestes que ora são invadidas por bosques localizados em áreas preservadas ora substituídas por imensos glaciais e canais patagônicos.

Não é à toa que a região é considerada Reserva de Vida. De vida aventureira, inclusive.

Fonte: Uol Viagem

Conheça as cores, sons e outras alucinações da Amazônia peruana

Quem desembarca em Pucallpa, uma das principais portas de entrada para a selva do Peru, tem a impressão de que desceu no lugar errado. O trânsito alucinado de mototáxis e o mercado informal nas ruas em nada lembram o principal atrativo da região: a Amazônia peruana.

Por sorte, essa é apenas a porta de entrada. O que vem pela frente, em um dos territórios mais verdes do planeta, é puro deleite para os olhos, os ouvidos e a alma. Essa é Ucayali, uma região com mais de 100 mil km² de pura Amazônia que fica encostada ao Acre, no vizinho Brasil.


Pôr-do-sol na Lagoa Yarinacocha, considerada o centro de uma rede hidrográfica que a conecta com rios importantes da região amazônica peruana

A bela sequência de imagens começa em Yarinacocha, cidade às margens da lagoa de mesmo nome que segue alheia à desordem da vizinha Pucallpa. É nessa lagoa com 20 km de extensão, considerada o centro de uma rede hidrográfica que a conecta com rios importantes da região, que suas águas calmas ditam o ritmo dos próximos dias na selva.

O balanço da canoa de madeira, aparentemente frágil, chega a causar uma certa ansiedade nos forasteiros de primeira viagem pela região. Mas Dario, um jovem de origem shipibo de Nuevo Chicago, adverte: "Essa não vira nunca, é só ter concentração". Tentar concentrar-se sobre aquele pequeno meio de transporte é realmente um exercício complexo, mas a alma logo se aquieta quando a canoa entra pelos canais, lagoas e pequenas ilhas da região. Alucinante.

Se os olhos se enchem de lágrimas só de ver a paisagem natural que se abre a frente, o que dizer dos sons que vem da selva? Melhor não dizer nada mesmo. Apenas ouça-os.

O sol ainda nem pensa em dar as caras em Santa Clara, e as aves já começam a organizar a sinfonia amazônica que vai orientar a trilha sonora do resto do dia. Ao longe, ouvem-se os motores dos primeiros barcos que singram as águas do Yarinacocha com moradores das comunidades isoladas da Amazônia.

Santa Clara é uma comunidade indígena do grupo shipibo conibo que vive às margens do rio Ucayali, um afluente do rio Amazonas, e se mantém com os poucos recursos obtidos da pesca, da agricultura e das belas cerâmicas feitas por cuidadosas mãos femininas. Utimamente, os habitantes também acrescentaram o turismo vivencial às opções de renda.
Os visitantes passam o dia entre os índios, conhecem seu trabalho artesanal e suas casas simples sem móveis, e provam iguarias locais. E se vão.

Mas a selva continua ali e, quando o sol começa a pintar os telhados das cabanas com tons de laranja mais escuro, os sons são substituídos pela música da noite. Agora é a vez do turno noturno de animais que assumem o comando da melodia seguinte. Vale até a participação especial de um macaco-aranha incomodado com algum som fora de tom.

Ritual xamânico

Só quem passa a noite em Santa Clara, comunidade com pouco mais de 260 habitantes e que ainda vive sem energia elétrica, é capaz de entender a composição completa de notas e imagens que formam a Amazônia peruana. Quando todos os sons já parecem ter sido experimentados, um canto prolongado irrompe a noite: são os ícaros entoados pelo xamã da comunidade.

Essa é mais uma noite de trabalho xamânico com o poderoso alucinógeno Ayahuasca. A tenda de palha, camuflada entre as árvores da selva, já está protegida pela tela branca que, segundo aqueles curandeiros naturais, evitam a fuga das energias positivas captadas durante a cerimônia.

No chão, cachimbo, cigarros e folha de manjericão. Uma luz branca abre o caminho, é a lanterna utilizada pelo xamã a fim de iluminar o local escuro para que os poucos participantes possam encontrar os colchões espalhados pela tenda.

O condutor dá algumas explicações sobre o alucinógeno indígena antes de tragar a primeira dose da bebida escura que desce, amarga, pela garganta para, logo, compartilhar os efeitos que devem começam a surgir nos próximos 30 minutos. Em seguida, um canto forte é entoado em língua shipibo. A floresta parece se excitar e o que vem dali para frente são imagens que nem a natureza selvagem da Amazônia ainda conseguiu materializar.

Segundo David Vásquez, curandeiro da região, a bebida é um aliado utilizado para abrir a porta de visão que facilita os trabalhos do xamã que, em contato com os espíritos, assume poderes sobrenaturais capazes de curar os problemas da alma e do corpo. "Uma vez conectado, somos capazes de visualizar o que a energia das plantas tem para nos dizer", explica Vásquez, que também atua como diretor geral da comunidade Nuevo Chicago.



A cultura shipibo conibo se caracteriza pela variedade de cores e desenhos geométricos das vestimentas

Em Santa Clara, esse remédio natural é preparado de forma pura, misturado com uma planta local chamada chacuruna. Dos 54 litros de água utilizada para sua elaboração, saem apenas dois litros do produto concentrado, o que garante efeitos alucinógenos que chegam a durar até o dia seguinte ao ritual.

"Sinto-me feliz em ver as pessoas depositando sua confiança em nosso trabalho. O que fazemos nada mais é do que compartilhar e demonstrar o conhecimento obtido das plantas através desses rituais", comenta David. Ele compartilha seus conhecimentos medicinais, a Amazônia empresta seu visual e o visitante tem uma das viagens mais alucinantes pelo continente sul americano. Literalmente.

Como chegar


Pucallpa está a 781 km de Lima, capital do Peru. A viagem por terra dura, aproximadamente, 20 horas ou, de avião, 60 minutos.

Informações turísticas em Pucallpa
Dircetur (Dirección Regional de Comercio Exterior y Turismo)
Rua 2 de Mayo, 111.
Tel: (51) (61) 571-303.
De seg. a sex. das 8h às 17h.
www.regionucayali.gob.pe/dircetur

Comunidade Shipibo Conibo de Nuevo Chicago
Os programas turísticos da comunidade incluem hospedagem em cabanas indígenas, pensão completa e rituais xamânicos com Ayahuasca.
Tel: (51) (61) 9619-70483 / dabase68@hotmail.com


Fonte: Uol Viagem

Taxas 09/12/2009

Comer e beber em Paris: à maneira dos franceses e sem gastar uma fortuna

Paris como capital cozinha mundial não é novidade para ninguém. O problema é que às vezes são tantos bistrôs e restaurantes que fica difícil definir qual se deve ir. Para ajudar na escolha nada melhor de quem entende do assunto. Confira algumas dicas do chefe carioca Alex Herzog. Apaixonado pela capital francesa, ele lançou o livro Bistrôs Paris, um guia com fotos próprias, descrições, referências turísticas e cinematográficas dos melhores estabelecimentos da cidade. Confira alguns los locais seleccionados.

Restaurant Chez Georges
Desde 1964 na mão da mesma família, a casa mantém a autenticidade e o charme dos bistrôs com uma decoração do início do século passado. Os menus são pura tradição. Na porta, o cardápio foi escrito à mão com caneta-tinteiro e, na mesa, o menu é uma cópia em papel, do tipo que se fazia antigamente em mimeógrafo. Julia Child, lenda da culinária americana e personagem do novo filme Julie & Julia, sempre visita o Chez Georges em suas viagens a Paris. Endereço: 1, rue du Mail, 2éme. Metrô: Bourse, Sentier Tel.: 01 42 60 07 11 Tipo: bistrô Horários: de segunda a sexta, das 12h15 às 14h, e das 19h30 às 22h15 Filme: Paris je t'aime - Place des victoires Ir e ver: Palais Royal, Palais de la Bourse, Galerie Vivienne.

Le Baratin
Um dos pontos prediletos dos parisienses. Gente de toda a cidade vem atrás da cozinha preparada pela dona argentina e lota o local diariamente. Para completar, o bistrô possui uma grande seleção de vinhos com mais de 300 rótulos. Endereço: 3, rue Jouye Rouve, 20ème. Metrô: Pyrénées (para ir) e Belleville (para voltar) Tel.: 01 43 49 39 70 Tipo: bistrô de quartier, bar à vin, cuisine de terroir Horários: de terça a sexta, das 11 à 1h; sábado das 18 à 1h Filme: As bicicletas de Belleville Ir e ver: Parc des Buttes Chaumont, Parc de Belleville

La Crêperie des Canettes
É o típico bom e barato. Com crepes entre sete e nove euros, a creperia oferece refeições leves e ideais antes de um concerto ou de um show. Todas as refeições respeitam as tradições da culinária parisiense e só usam farinha de trigo sarraceno. Endereço: 10, rue des Canettes, 6ème. Metrô: Mabillon, Saint-Sulpice ou Odéon Tel.: 01 43 26 27 65 Tipo: creperia, Horários: de segunda a sexta, das 12 às 16h e das 19 às 23h. Sábado,das 12 às 18h e das 19 às Ir e ver: Église de Saint-Sulpice, Église de Saint-Germain, Jardin du Luxembourg, Marché Saint-Germain

Bar du Marché
O local vale uma parada nem que seja rápida para ter a experiência de um autêntico café parisiense. Peça um "apéro", forma simpática como os franceses se referem ao aperitivo. As mesas na calçada ficam sempre cheias com pessoas querendo beber, tomar sol, ler, conversas, ver e serem vistos. Endereço: 74, rue de Seine, 6ème. Metrô: Odéon ou Mabillon Estação Velib: 1, rue Jacques Callot Tel.: 01 43 26 55 15 Tipo: cafe-bar-bistrô Horários: todos os dias das 8h às 2h Filme: Paris Je T'Aime - Quartier Latin Ir e ver: Jardin du Luxembourg, Place de la Sorbonne

La Crèmerie
Fundada em 1880 como um local para venda de leite e creme, o estabelecimento se transformou em 1950 em cave de vinhos e desde 2001 se especializou em vinhos naturais. Pequenos produtores também têm vez. A decoração respeita as origens. Um balcão de mármore cheio de gelo mantém a tradição da antiga forma de guardar o creme fresco, e o teto pintado à mão segue intacto. Endereço: 9, rue des Quatre Vents, 6ème. Metrô: Mabillon, Saint-Sulpice ou Odéon Tel.: 01 43 54 99 30 Tipo: bar à vin Horários: de terça a sábado, das 10h30 às 22h; domingo das 10 às 14h Filme: Paris adormecida Ir e ver: Église de Saint-Sulpice, Église de Saint-Germain, Jardin du Luxembourg, Marche Saint-Germain

Le Procope
O primeiro restaurante de Paris. Surgiu em 1686 como um lugar para pessoas tomarem um café. Com a abertura da Comédie Française, o local tornou-se ponto de encontro de artistas, intelectuais e escritores. Nomes como Rosseau, Voltaire, Benjamin Franklin, Thomas Jefferson, além do trio Danton, Marat e Robespierre, se reuniam na casa para definir os caminhos da Revolução Francesa. Endereço: 13, rue de l'Ancienne Comédie, 6ème. Metrô: Odéon Tel.: 01 40 4679 00 Tipo: brasserie Horários: todos os dias, das 10h30 à 1h Filme: Danton: o processo da Revolução Ir e ver: Église de Saint-Germain, Jardin Du Luxembourg, Marché Saint-Germain.

Fonte: Portal Terra Turismo

Taxas 08/12/2009


Esqui a preços mais acessíveis na base de Courchevel

Courchevel é parte de Lês Trois Vallées, maior complexo de esqui do mundo. Suas pistas são conhecidas pelo glamour e atendem a todos os níveis, tanto do ponto de vista esportivo como financeiro. Localizada nos Alpes Franceses, a estação é dividida em quatro diferentes patamares: Courchevel 1300, Courchevel 1550, Courchevel 1650 e Courchevel 1850. A numeração, além de indicar a altitude do local, também retrata os diferentes níveis econômicos dos que as frequentam. Ou seja, a medida que se sobe a montanha, o luxo de hotéis e restaurantes vai crescendo junto.

A melhor indicação é o Courchevel 1850, mas saiba que para desfrutar do mais alto ponto da estação é preciso ter um grande suporte financeiro. O local se trata de um dos mais badalados destinos de bilionários e famosos do mundo. Hotéis cinco estrelas, chalés fora do comum e dois restaurantes premiados pela Michellin: o Chabichou e o Bateu Ivre dão o tom do lugar. E como não poderia ser diferente, as principais pistas de esqui estão todas localizadas nas partes altas da região.

As opções mais viáveis estão nos vilarejos inferiores. Também conhecida como Le Praz, Courchevel 1300 possui um clima mais rústico. Famílias com crianças pequenas que não podem exagerar nos gastos e prezam por tranquilidade na suas férias constituem seu público natural. Já Courchevel 1550 e Courchevel 1650 são vistas como opções intermediárias, onde é possível, além de conseguir aproveitar um clima mais animado e festeiro, encontrar o sossego que as montanhas oferecem.

Se faltar dinheiro para o luxo de hostéis e restaurantes, pelo menos não se preocupe com a qualidade do esqui. Independente de onde você fique, a excelência das pistas está garantida. Todo o complexo está interligado por uma excelente infra-estrutura de transportes de ônibus, teleférico e ski-lifts que conectam não somente a área de Courchevel como também toda a Lês Trois Vallées. Os turistas podem optar pelas duas opções de passe.

Para se ter uma ideia, somente Courchevel oferece mais de 150 quilômetros de neve fofa. Logo, se for iniciante ou não tiver muito tempo para conhecer tudo, essa parte do complexo será mais do que suficiente para atender sua demanda. Mas, se tempo não for problema e estiver disposto a conhecer mais de 600 quilômetros em pistas, inegavelmente pagar pelo passe de Les Trois Vallées será uma experiência fantástica e única.

Fonte: Portal Terra Turismo

Londres

Londres significa ótimos museus, parques bem cuidados, teatros, galerias, pubs, cafés, shows...

Londres (London,) é uma metrópole sem dono. Em seus metrôs, você verá indianos, árabes, norte-americanos, latinos, australianos, europeus em geral. Vai escutar tantos idiomas quanto não ouviria em qualquer outra cidade. Como em nenhum outro lugar, tem-se a sensação de que, se existe um centro do mundo, é aqui mesmo, a capital britânica.

Londres é a síntese de Nova York, Paris, Tóquio, Bombaim, Sydney, São Paulo, muito no que há de melhor (como você verá ao longo do texto - ou conhecendo in loco), e um pouco no que há de pior (clima, poluição, tráfego arrastado, sem-teto) -acrescido do inconfundível estilo inglês (afinal, ainda faz parte da Grã-Bretanha). Explorar Londres merece no mínimo 5 ou 7 dias - mas talvez 1 ano fosse o ideal.

O poeta Samuel Johnson disse "Quem está cansado de Londres está cansado da vida". Verdade. Existem centenas de opções para conhecer e aproveitar a cultura local: ótimos museus, parques bem cuidados, teatros, galerias, pubs, cafés, shows, feiras, mercados, livrarias, bibliotecas, atrações turísticas em geral. Sim, gasta-se dinheiro (e é para gastar, se é para deixar de aproveitar por extrema economia, melhor nem ir), mas também há muitas alternativas gratuitas. Estar em Londres é um investimento em sua viagem, e, sem exagero, em sua vida.

Fonte: Uol Viagem

Hotel Alvear oferece luxo e requinte em Buenos Aires

Alvear Palace é símbolo máximo do lado grã-fino de Buenos Aires. Fruto dos períodos áureos da Argentina, quando o país era um dos mais ricos do mundo, esse hotel, no chique bairro da Recoleta, é referência de classe, serviço e boa culinária. Mordomos fazem atendimento privado, os restaurantes oferecem o melhor da cozinha internacional e sua arquitetura imperial deixa Alvear Palace no mesmo nível de beleza que qualquer cinco estrelas do mundo.

São 197 apartamentos e suítes que mesclam modernidade com um ambiente clássico. Todos equipados com a mais alta tecnologia ao mesmo tempo em que são decorados com obras de artes e móveis que remetem aos anos imperiais franceses de Luis XVI. A maior e mais completa dos dez diferentes cômodos do hotel é o Palace, indicado seja para casais quanto a toda família.

Caso seja de interesse do hóspede, um mordomo poderá ficar praticamente 24 horas à disposição. O Alvear Palace oferece atendimento particular desde o momento da chegada até a saída. Durante a sua estadia, ele poderá preparar um banho de jacuzzi, passar suas roupas e engraxar o sapato, fazer baby-sitter, até arrumar sua mala e garantir que não tenha esquecido nada no quarto. Ainda há o personal shopper, profissional que se encarrega de auxiliar aqueles que necessitam de ajuda nas compras, dando tanto consultoria sobre lojas como também acompanhando ou indo comprar aquilo que o hóspede desejar.

Como todo bom estabelecimento portenho, a cozinha é de alto nível nos dois restaurantes do hotel. O La Bourgogne segue a refinada culinária francesa tendo como chefe o único Relais Gourmand da América Latina. Já L¿Orangerie oferece um buffet internacional e um café da manhã formidáveis. Também se pode aproveitar o chá da tarde com o delicioso cardápio de doces oferecido diariamente e o brunch de domingo. Além disso, não se esqueça que refeições podem ser encomendadas ao quarto. Lobby Bar e Cigar Bar completam o cardápio, com drinques internacionais e uma exclusiva seleção de charutos cubanos, licores e chocolates, respectivamente.

O serviço de spa não poderia ficar de fora. O Alvear Palace oferece programas de beleza para face e corpo utilizando produtos naturais como sais marinhos, óleo de eucalipto e creme de ervas que respeitam todos os diferentes tipos de pele. Massagens para aumentar energia, relaxar e melhorar o equilíbrio do corpo são boas pedidas. Se quiser atendimento completo, tratamentos especiais, que duram cerca de quatro horas, atendem diferentes necessidade dos clientes.

E área de saúde não para por aí. A Wellness Area, espaço mais isolado do hotel, é equipada com sauna, ducha de pressão para massagens, banhos de vapor, piscina e o "caminho das sensações". Trata-se de um relaxamente circuito de tapete de pedras de diferentes temperaturas e pressões de água. Para completar, uma academia de ginástica com equipamentos e profissionais de ponta oferece o que há de mais novo em técnica de musculação: o Kinese. Esse novo conceito coloca a mente e seu corpo em harmonia através de exercícios de deslocamentos em cabos que se movimentam nos três planos do espaço.

Fonte: Portal Terra Turismo

Bali: o roteiro perfeito para se espiritualizar e surfar as melhores ondas


Cultura e praia normalmente são motivos diferentes para escolher o destino da próxima viagem. Se quiser juntar os dois, Bali é uma opção. Essa pequena ilha na Indonésia, além de possuir uma costa de beleza inquestionável, também abriga templos e toda uma tradição ligada à religião Hindu.

O principal polo turístico de Bali fica no distrito de Kuta. Os surfistas à procura das ondas perfeitas foram os primeiros a chegar nesse pedaço da ilha. Logo o lugar foi se modernizando e hoje oferece uma vasta opção de restaurantes, hotéis, bares e lojas por ótimos preços. Antes de tentar se arriscar nas ondas mais pesadas, Kuta Beach é ideal para aprender o esporte. Diversas escolas de surfe oferecem curso de três dias por cerca de cem dólares. O pôr de sol na ilha é famoso, ao ponto de convocar sempre uma pequena multidão.

Já Ubud é a capital cultural da ilha. Bali representa um centro hinduísta no mais populoso país mulçumano do mundo. O cotidiano local é marcado pelos rituais da religião. Procissões pelas ruas, inúmeras oferendas aos deuses e diversos templos espalhados pela cidade dão a dimensão da importância da religião para a população. Em Ubud, visite templos como o Goa Gajah, Pura Kehen, Gunung Kawi, Pura Samuan Tiga e principalmente o Pura Tirta Empul. De noite, as atrações ficam por conta de espetáculos de dança como Barong Dance, Pura Dalem e Puri Saren & Puri Saraswati. Museus também têm importância na região. Conheça os de arte local: Museum Rudana, Museum Puri Lukisan, Museum Antonio Blanco e The Neka Art Museum.

A culinária local é bastante rica e apimentada. Nasi campur (arroz frito), mie goreng (macarrão frito) e nasi goreng (arroz cozido com carne e legumes) devem ser experimentados. Porco é a principal carne nos pratos. Arroz, feijão, vegetal e até mesmo frango são acompanhantes comuns. Mas preste atenção: a Indonésia é famosa por seu forte tempero. Então trate de reservar bastante espaço para água no estômago.

Nos vilarejos próximos à Ubud, turistas podem conhecer os arrozais que abastecem com o principal ingrediente a culinária local. Os passeios podem ser feitos a pé partindo do centro em direção a lugares como Campuhan Pejeng e Tegallalang. O ar fresco e a beleza das paisagens que intercalam montanhas coberta de plantações de arroz e rios valem a caminhada. Aproveite também para comprar os tradicionais artesanatos nos mercadinhos e postos.

Fora Ubud e Kuta, outras localidades merecem destaque. Ulu Danu, na margem do Lago Bratan, e Pura Luhur Uluwatu, no vilarejo de Pecatu, são considerados os dois mais bonitos templos Hindus de Bali. Para praias menos badaladas, Sanur Beach e Legian Beach são boas opções, mas é preciso tomar cuidado com as águas, que são consideradas perigosas. Brasileiros que desejarem conhecer Bali devem tirar visto. O documento pode ser obtido tanto no Brasil quando na Indonésia. Mas, saiba que se deixar para resolver tudo no ilha, a validade é de até 30 dias. Se solicitar no Brasil, o limite vai para 60 dias.

Fonte: Portal Terra Turismo

Descubra toda a beleza das ilhas do Caribe


O Caribe é um delicioso clichê. Águas quentes e claras, areia branca, muito sol e resorts de luxo são alguns dos aperitivos que atraem milhares de turistas ano após ano para suas paradisíacas praias. Mas, além de todas essas já conhecidas características, um universo cultural está fincado na região. Havana, em Cuba e Santo Domingo, República Dominicana, são exemplos de museus a céu aberto bem conservados.

Um dos problemas do Caribe é a sua lotação na alta temporada. Entre dezembro e abril, seus principais hotéis, cruzeiros e praias ficam lotados de turistas. Para fugir da muvuca, o mês de maio é o mais indicado. Na temporada que vai de junho até novembro, o problema fica por conta dos furacões.

De olho no conforto dos resorts, procure lugares como Cancun, Bahamas, Jamaica, Barbados e Porto Rico. O primeiro é o mais badalado destino do balneário mexicano, oferecendo, além de praias, a melhor noite de todo o Caribe. As 700 ilhas, muitas particulares, das Bahamas também são redutos de milionários do mundo todo, tendo como principal pólo turístico a Ilha de Nova Providência. Ela é dividida em três áreas: Nassau, metrópole do país, a Ilha do Paraíso e a Praia do Cabo centros dos resorts. Antes de partir, não deixe de mergulhar em Andros. Seu recife é considerado o terceiro maior do mundo e é um espetáculo à parte.

Já na Jamaica, o balneário luxuoso fica no eixo Negril e Ocho Rios. Os dois possuem praias desertas, com águas calmas que misturam tons de azul e verde. Não perca o pôr do sol de Negril. Se desejar mais agitação no país de Bob Marley, Montegobay oferece mais opções de bares, boates e lojas de artesanato sem perder na beleza de suas areias. Seguindo a linha, a costa leste, sul de Barbados e a famosa praia de Punta Cana, República Dominicana e referência nos resorts "tudo-incluído", não perdem em nada para o restante.

As Antilhas Holandesas também não ficam para trás. As três ilhas: Aruba, Bonaire e Curaçao oferecem ótimos picos de mergulho, cassinos e, evidentemente, praias de tirar o fôlego. Aruba é a maior e mais frequentada, mas o lugar vem perdendo suas peculiaridades devido à forte presença de turistas americanos que deixou marcas da cultura yankee. Mesmo assim, praias como Arashi ainda resistem. Já Bonaire é o reduto dos mergulhadores e seu recife é considerado um dos pontos alto das Antilhas.

Curaçao possui as mais bonitas praias e Willemstad. Centro histórico da capital, Willemstad é considerado um patrimônio histórico pela Unesco e funciona como um dos mais importantes portos da América Central.

Mas o Caribe também pode ser isolado e calmo. Nas Ilhas de Cayman, Cayman Brac e Little Cayman apresentam uma natureza formidável, com um clima tranquilo e rústico. Tobago, parte de Trinidad & Tobago, tem reservas ambientais, verdadeiros aquários naturais e uma vasta floresta tropical com belas cachoeiras. A citada Barbados na sua parte central e oeste é um paraíso de aventureiros e surfistas atrás de boas ondas, trilhas e pontos de mergulho.

Antes de pensar que o Caribe é um simples conjuntos de praias, Havana, Cuba, representa o que há de mais vivo no continente americano. A cidade está praticamente estagnada no tempo. Mantida pelo governo comunista de Fidel Castro, a arquitetura se manteve intacta à revolução. Caminhar pela avenida Beira-Mar ou frequentar algum clube de salsa ou mango dão um pouco do clima do lugar. Para completar, carros antigos conseguem dar um charme ainda maior para o Havana. Já, Santo Domingo, capital da República Dominicana, conserva belas construções dos tempos da colônia espanhola no centro histórico.


Fonte: Portal Terra Turismo

O museu sem acervo

Imagine um espaço onde a obra de arte é a própria arquitetura. Assim é o novo museu de Roma


Foram dez anos de obras, 1,2 milhão de horas de trabalho ininterrupto e 120 mil toneladas de concreto para erguer os pouco mais de 21,2 mil metros quadrados do Museu Nacional de Arte do Século XXI, em Roma. Recém-inaugurado, o Maxxi – como é conhecida a construção – foi projetado pela arquiteta iraquiana Zaha Hadid e custou 150 milhões de euros, o equivalente a R$ 390 milhões. Mas, diante dos espaços fluidos, dos sinuosos corredores e da complexidade da obra de engenharia executada, os números ficam em segundo plano. O impacto do prédio projetado por Zaha, vencedora do Prêmio Pritzker, uma espécie de Oscar da arquitetura mundial, em 2004, é tamanho que a Fondazione Maxxi, que bancou a empreitada por meio do Ministério da Cultura e do Patrimônio do país, só vai expor seu acervo em meados de 2010. Até lá, a obra de arte a ser admirada é a própria edificação. “Esta é uma tendência”, diz Issao Minami, professor de comunicação visual da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). “São construções que merecem admiração.

E há muito que se admirar no Maxxi. Quando foi projetado, em 1999, boa parte das curvas idealizadas pela arquiteta não podia sequer ser construída. A tecnologia da época não permitia. Mas, enquanto a obra seguia seu rumo, novas soluções em mistura de concreto foram desenvolvidas para viabilizar as improváveis torções que fazem o piso virar parede e a parede virar teto. Segundo Zaha, o efeito desejado era o de criar c

orredores cercados por uma espécie de onda de concreto que envolvesse o visitante “como uma fi

ta de cetim se desenrolando no espaço”. Outra característica que deve se tornar uma das marcas registradas da obra é o enorme bloco de concreto e vidro que se projeta como uma cabeça da fachada principal. “É como se a peça se descolasse do resto da construção”, explica Celso Lomonte Minozzi, professor de arquitetura na Universidade Belas Artes de São Paulo.


Fonte: Portal Terra Turismo

Você repórter: com mais de 60 praias, Ubatuba encanta turistas


Com mais de 60 praias, a cidade de Ubatuba, no litoral norte do Estado de São Paulo, encanta os visitantes com seus vários atrativos turísticos, como cachoeiras, ilhas e trilhas apropriadas para a prática do ecoturismo.

"Minhas viagens para Ubatuba são sempre uma boa e grata surpresa. O percurso às vezes parece longo, mas, quando chegamos, a conclusão é sempre a mesma: valeu à pena!", conta o paulista Sérgio Mendes, morador de Vinhedo (SP), cidade localizada a quase 300 km de Ubatuba.

Sérgio procura visitar a cidade pelo menos quatro vezes ao ano com a família. "A viagem leva em torno de 3h30 e costumo sempre ficar na praia do Félix", diz. A praia fica na região norte da cidade e é muito procurada por ter sua natureza bastante preservada. Com areia branca e solta, tem mar calmo no canto direito, ótimo para a prática de mergulho, e ondas consideráveis no canto esquerdo, atraindo também muitos surfistas.

Além da Félix, outras 17 praias compõem a região norte. No centro, há mais dez praias, entre elas a praia Grande, responsável por concentrar um grande número de turistas em feriados e nos meses de temporada. Com 1,8 km de extensão, ela possui muitas opções de hospedagem, como hotéis e pousadas e é frequentada por pessoas de todas as idades.

Já a área sul da cidade abriga 35 praias, entre elas a Toninhas e a Enseada. Ambas reúnem um público bastante familiar por ter águas tranquilas e uma faixa de areia ótima para quem gosta de ficar à beira mar.

Os passeios de escuna para a Ilha de Anchieta também são bastante procurados pelos turistas. No local, há as ruínas de um antigo presídio político, desativado em 1955 após uma grande rebelião. Além do passeio histórico, o belo visual, as quatro praias de águas claras e as trilhas ecológicas também fazem parte dos atrativos do lugar. Denominado Parque Estadual da Ilha de Anchieta e administrado pelo Instituto Florestal, aos finais de semana o lugar recebe um grande número de embarcações particulares.

Em sua área de Mata Atlântica, o município abriga também diversas cachoeiras, entre elas a Água Branca, localizada no Parque Estadual da Serra do Mar, com mais de 300 m de queda. Localizado quase ao pé da serra, os visitantes podem apreciar a biodiversidade em um percurso que leva, no mínimo, quatro horas.

Para as crianças, a cidade oferece algumas opções, como o Aquário de Ubatuba, na rua Guarani, 859, em Itaguá, onde é possível conhecer um pouco do mundo marinho; e as instalações do Projeto Tamar, onde os pequenos podem ver diversas espécies de tartarugas marinhas de perto. A base fica na rua Antonio Athanasio da Silva, 273, também no centro.

Ubatuba é o último município do litoral norte de São Paulo e faz divisa com a cidade histórica de Paraty (RJ). Os turistas que saem da capital podem utilizar a rodovia Ayrton Senna/Carvalho Pinto, a Tamoios (SP-099) e a Rio-Santos. Para quem deixa o interior, a opção é a rodovia Dom Pedro I (SP-65) até Taubaté (SP) e, depois seguir pela Osvaldo Cruz (SP-125).

Fonte: Portal Terra Turismo

Aventura no Rio Negro valoriza flora e faunas brasileiras



Antes de se unir ao rio Solimões formando o Amazonas, o rio Negro possui uma identidade própria. Com 1700 quilômetros de extensão e 25 quilômetros de largura, suas águas escuras comportam algumas das mais admiráveis paisagens da Floresta Amazônica e são um convite a turistas que desejam captar a beleza da flora e fauna local.

Nas margens mais afastadas de Manaus, fica o Parque Nacional do Jaú. Trata-se da única Unidade de Conservação do Brasil e, portanto, sua natureza segue praticamente intacta. O acesso é precário, mas, por outro lado, ajuda a manter o lugar intocado. Partindo de barco, é possível desfrutar a vista de uma bela vegetação, tanto na mata ribeirinha de igarapés e de vitórias-régias quanto terra adentro. Se der sorte, ainda poderá topar com animais ameaçados de extinção como jacarés-açus e onças.

A visitação ao parque deve ser feita com a autorização do IBAMA. É necessário pelo menos um mês de antecedência para agendar pelo telefone (92) 613.3277, no ramal 229. A diária é de R$ 3 por pessoa e cobra-se uma taxa entre R$16 a R$ 64 pelo barco. O parque fica aberto entre 7h e 18h.

Verdadeiros arquipélagos também compõem o contorno do rio Negro. Durante o período de seca (maio a outubro), a Anavilhanas, maior conjunto de ilhas fluviais do mundo, fica toda cortada por praias desertas, trilhas e canais que interligam as cerca de 400 ilhas. É parada obrigatória. Já na temporada de águas altas, muitas ilhotas ficam submersas e a pedida é navegar pelas florestas de igapós.

Mas se preferência for uma praia mais tradicional, a dica é a Ponta Negra. Localizada a 13 quilômetros da capital, a praia é o maior pólo turístico do rio Negro. Suas areias, que chegam a dois quilômetros de extensão, são banhadas por águas mornas e calmas. Além disso, uma das melhores infra-estruturas está lá: há restaurantes, bares e até um anfiteatro com capacidade para 15 mil pessoas. Antes de se dissolver no rio Amazonas, o Negro proporciona um verdadeiro espetáculo natural: o "Encontro das Águas". Por mais de seis quilômetros, uma linha neta separa as águas escuras do Rio Negro das turvas do Rio Solimões. O fenômeno, resultado das diferentes densidades e temperaturas dos dois rios, pode ser visitado em embarcações que partem de Manaus.


Fonte: Portal Terra Turismo

Cruzeiros oferecem luxo e mordomia na Polinésia Francesa


O sonho de relaxar num iate de luxo em águas azuis, entre ilhas paradisíacas é possível. Onde? Na Polinésia Francesa, com os iates Tu Moana e Ti´a Moana. Cada um deles possui 20 espaçosas e sofisticadas cabines privativas, num ambiente informal, porém elegante. Tudo chama ao relax, ao romance e à aventura. Durante o passeio, é possível mergulhar ou praticar esportes náuticos, além de aproveitar o spa e a gastronomia, com ingredientes tropicais.

Os itinerários passam por quatro ilhas. Bora Bora é a principal. Está rodeada por uma lagoa, fechada por um recife e no seu centro estão os restos de um vulcão extinto, com seus dois picos, o Monte Pahia e o Monte Otemanu. A segunda ilha é Taha'a, que tem o formato de uma flor de hibisco, com uma costa recortada e profundas baias recuadas. Há cem anos, as plantações de baunilha floresceram na ilha, e por isto Tahaa também é conhecida como a Ilha Baunilha e é famosa pelo aroma característico. A terceira ilha é Raiatea, conhecida como a Ilha Sagrada, pois segundo a mitologia local foi aqui que nasceu a terra e foi esta ilha o berço dos reis. Por isso, tornou-se sede da realeza e da religião, bem como o centro da cultura Maohi polinésia. É a maior e mais populosa: numa área de 167,7 km ², contando com 12 mil habitantes. A última ilha é Huahine, local de estadia de muitos famosos escritores, poetas, artistas e cantores.

Nos iates, a mordomia é total e a diversão não acaba. Há demonstrações de tatuagem típica, danças nativas e canções tradicionais e hinos em taitiano, e também acontecem altas baladas noturnas. Mergulho e snorkeling, canoagem e caminhadas nas ilhas se alternam com as seções matinais de de tai chi e ioga.

Fonte: Portal Terra Turismo

O fim do ano chegou: hora de planejar seu Réveillon em Copacabana


Na virada do ano Copacabana se transforma em uma grande festa. E não seria por menos. Com um show de fogos incomparável, milhões de pessoas vão à praia para se deslumbrar com a sua beleza. As expectativas para 2010, ano em que o Rio foi designado sede do Jogos Olímpicos, não são diferentes.

O Réveillon em Copacabana teve seu início nos anos 70 com praticantes do candomblé. Devotos iam à praia para saudar a chegada de um novo ano com oferendas para Iemanjá, a rainha do mar. Todos os anos, esse hábito se repete. Eles dançam e rezam, pedem a benção da mãe de santo e levam flores para jogar no mar. Em outra prática comum, pessoas empurram um barco em direção ao oceano. Se ele for embora significa que Iemanjá aceitou a homenagem e o ano será bom.

As cores também possuem um forte significado na princesinha do mar. Em procura por paz em uma cidade cansada dos episódios de violência, a vasta maioria veste-se de branco. Vermelho e amarelo também estão em alta por trazer amor e prosperidade, respectivamente. Azul simboliza clareza, enquanto verde, saúde. As superstições não param por aí. Pular sete ondas, comer lentilhas e 12 uvas são apenas algumas que vivem no imaginário do folclore brasileiro.

Shows também têm sido presença constante. Neste ano, uma programação de até 17 horas está sendo montada pelos organizadores. A expectativa é que um grande artista esteja em um dos três palcos que serão montados. Até agora nada está confirmado, mas nomes como Beyoncé, U2 e Roberto Carlos já foram ventilados como atração principal.

Faltando segundos para meia-noite, os telões espalhados pela praia iniciarão a tão esperada contagem regressiva. E quando os relógios apontarem 00:00, o maior espetáculo da noite começará. Os tradicionais e incomparáveis fogos sairão do mar em direção ao céu, brindando a chegada de mais um ano. A previsão inicial é que oito balsas sejam instaladas. A cascata do hotel Meridien, um clássico que faz falta há alguns anos, ainda não voltará, mas o grupo que adquiriu o hotel recentemente pretende retomar com a tradição em 2011.

Algumas dicas são imprescindíveis. O Réveillon em Copacabana vem ocorrendo sem grandes problemas, mas é sempre bom ressaltar: evite levar objetos de muito valor. Para chegar à festa, o melhor jeito é metrô. Táxis também são opção, mas devem ser agendados com antecedência prévia por companhias que têm autorização para circular pelas ruas de Copacabana no dia.

Fonte: Portal Terra Turismo